domingo, 21 de dezembro de 2008

Dia cinza.


Domingo é um dia cinza. O que não sinto chamo de cinza. Muitas vezes as horas são cinzas, as palavras são cinzas, as pessoas são cinzas, as músicas são cinzas. Cinza é uma cor tão vazia, parece que chora, é tão vazia quanto o preto, incrível. Preto não é uma cor, é ausência de cor, e mesmo assim parece mais feliz que o cinza. Hoje não liguei a TV, hoje não abri a janela, hoje não escovei o cabelo, hoje não peguei no meu celular, hoje não tomei Coca, porque quando o dia é cinza... Meu Deus, fico cinza. Logo... Todo movimento é perfeito, todas as coisas belas são escritas, todo pensamento solitário se camufla, cada melodia é doce, porém, nada sinto.
Elza del Castilo.

1 comentários:

MatheusLima' disse...

Impossível não comentar.
Existem obras cujo comentárioa é obrigatório. Basta identificá-las, as suas, por exemplo, irrefutavelmente devem ser comentadas, claro que nenhum comentário será tão bom quanto a essência dos seus escritos em si. Só estão aqui pra vangloriá-los e lembrá-los de suas grandezas. Parabéns!

Postar um comentário