domingo, 23 de agosto de 2009

Meia volta, se der.


Restrita.
Alvo impossível a queima-roupa.
Não questione,
Não irá ter resposta.
Quando se tem o controle
Não se quer perdê-lo.
E, quando se perde
Acorda com o corpo na lama,
Uma questão de tempo.
Uma educação dada é uma vida moldada,
Respeite o retrado.
É um modo agradável.
Sou o céu, seu céu,
Que nem com os braços você pode tocar,
Nem com gritos posso te ouvir,
Nem com música posso te sentir,
Nem com avião você pode estar perto de mim.
Só com a chuva você ter parte de mim,
Ainda assim, tocando no seu guarda-chuva.

1 comentários:

exoticlic.com disse...

cara que poema surreal lindo amei menina!

senti cheiro de talento por aqui rsrsrs

Postar um comentário